Olá! 

Depois de muito tempo venho aqui para trazer uma TAG que conheci agora que é inspirada no 7 pecados capitais, e sintam-se livres a fazerem a TAG também.

1. GANÂNCIA: Qual o seu livro mais caro e o mais barato? 


O livro mais caro que eu tenho é o "Laranja Mecânica - edição de 50 anos", cujo paguei beeem mais que 50 reais; e o mais barato foi "Nove plantas do desejo e a flor de estufa" que pague, aproximadamente, 2 reais.
























2. IRA: Com qual autor você tem uma relação de amor e ódio


Com a Jojo Moyes, só por simplesmente eu gostar tanto de uns livros e gostar pouco de outros.



3. GULA: Qual livro você devorou sem vergonha nenhuma? 


Tenho que ser sincera que esse foi o livro em que eu tive mais prazer de ler (por ser uma história maravilhosa e linda), e por ser uma HQ possibilitou eu ler rapidamente.



4. PREGUIÇA: Qual livro você mais tem negligenciado devido a preguiça? 


 Tenho que admitir que ando enrolando para lê-los mesmo sabendo que são muito bons. 




5. ORGULHO: Que livro você mais se orgulha de ter lido?


Foi um livro que eu li porque precisava, porém aproveitei cada momento dele. É um livro clássico, mas passa muitas lições de vida e com certeza te preenche de poesia.





6. LUXÚRIA: Que atributos você acha mais atraente em personagens masculinos e femininos?


Sinceramente? Em personagens masculinos eu amo o fato do quanto eles podem ter uma mente aberta, inteligentes, com carisma e sinceros.
Já com as personagens femininas basta elas serem fortes, independentes e inteligentes.

Levi de Fangirl


Donna de Mundo Novo



















7. INVEJA: Qual livro você gostaria de ter?


MEU FUCKING SONHO É TER OS LIVROS DO GEORGE, PRINCIPALMENTE AS CRÔNICAS!


E a TAG vai ficando por aqui, um beijão!




Categorias:

Hello, folks!


Hoje vim abordar sobre um assunto talvez nunca falado aqui no blog que seria a capacidade de uma maratona literária nos ajudar. 
Eu não planejei roteiros para isso, simplesmente estou de corpo e alma escrevendo.
Ultimamente me notei muito viciada em internet e pouco viciada em livros (ainda tenho dúvidas se fora por conta da minha rotina), e agora que estou de férias e a antiga rotina se foi me vi muito presa em maratonar séries invés de livros (tudo tem que ter um equilíbrio).




Até que finalmente decidi que hoje iria realizar uma maratona de 24 horas. Eu junto a Renata e também com umas pessoas do aplicativo Amino Livros (que vai até ganhar um post sobre) decidimos realizar de meio dia do dia de hoje até meia noite do dia de amanhã. 
Foi aí que notei o quão importante maratonar livros pode ser, é cansativo, porém vale muito a pena.
As pessoas que entraram no desafio estavam, em geral, querendo muito sair de uma ressaca literária ou simplesmente querendo saber seu próprio limite. Eu por outro lado queria me reintegrar no mundo dos livros.




E é isso, estou muito emocionada e animada com essa maratona e espero continuar a devorar os livros como antes. 
VAI TER POST SIM DO NOSSO RESULTADO DESSA MARATONA (e vai dar certo!). 
E espero muito não dar ressaca em mim depois da maratona, mas isso fica para outro post, beijos!










Oi, gente!


Como estão?

Todo mundo sabe que a Netflix está dominando a internet e deixando as horas de downloads de lado. Facilitou a vida de muita gente, e depois que a Netflix começou a produzir seus próprios filmes e séries, o sucesso foi absoluto. Hoje em dia, a variedade de conteúdo original da rede é gigante, e cresce a cada temporada. Mal acabamos uma série e já tem outra, ou um filme, documentário, enfim! A quantidade realmente só vai para a frente. E isso é maravilhoso! Só que nos faz ter cada vez mais séries na fila, cada vez mais coisas atrasadas, tsc. 


Mais como uma lista pessoal, um lembrete, do que um post útil (ops!), vim trazer para vocês uma lista de cinco séries que PRECISO assistir, e todas têm algo em comum: são produções Originais Netflix

Love

A descarada Mickey (Gillian Jacobs) e o nerd bonzinho Gus (Paul Rust) são bem diferentes um do outro. Enquanto se recuperam dos relacionamentos fracassados, eles acabam precisando lidar com os altos e baixos da intimidade, do comprometimento e da vida adulta. Love é "um olhar inflexível, hilário e dolorosamente honesto sobre o amor", narrando as dificuldades de se criar (ou desfazer) laços da vida moderna.

Grace & Frankie


Grace (Jane Fonda) e Frankie (Lily Tomlin) estão encarando a temida "3ª idade", mas não da forma que imaginavam. Quando os seus respectivos maridos revelam que estão apaixonados um pelo outro, e planejam se casar, a vida delas é virada de cabeça para baixo. Agora, elas estão ligadas eternamente por esse acontecimento e, já rivais, descobrirão que podem ter que tomar conta uma da outra.

Easy


Diferentes residentes de Chicago vivem suas vidas peculiares na cena cultural-tecnológica-amorosa-sexual da cidade dos ventos.

The Ranch

Um jogador  de futebol americano famoso decide se aposentar. Agora, ele tem em mente retornar a sua terra natal no Colorado, onde planeja tomar as rédeas do negócio da família no rancho onde vive.


Orphan Black


Sarah presenciou o suicídio de uma mulher desconhecida e extremamente parecida com ela. Para fugir de sua vida, Sarah decide assumir a identidade da vítima. Ela só não imaginava que estaria entrando em uma situação arriscada e aterrorizante.



The Crown

Aos 25 anos Elizabeth II (Claire Foy), acaba de se casar e recebe a mais importante missão de sua vida: se transformar na rainha da Inglaterra. Essa não será tarefa fácil, pois precisa enfrentar relações difíceis com políticos como o primeiro-ministro Sir Winston Churchill (John Lithgow) e em casa com o marido, Príncipe Philip (Matt Smith), que acha humilhante ter de se curvar diante da esposa-rainha.


Com um "currículo" de séries nada em dia, provavelmente só começarei a ver essas quando todas as outras tiverem suas seasons finalizadas, mas estou ansiosa. The Crown é uma das que mais quero assistir, tô quase atropelando as outras, rs. 

E vocês, o que esperam para assistir na Netflix? Conta aí. :) 

xoxo
até a próxima!
Adicionar legenda


Oi, gente!

Como estão?
Se querem saber, atualmente me encontro apaixonada por uma série britânica que começou independente e agora está sendo produzida pela Netflix: Lovesick.



Ano: 2014
Temporadas: 2
Canal: Netflix
Categoria: Humor
Sinopse: Dylan (Johnny Flynn) descobre que contraiu uma DST (clamídia) e precisa entrar em contato com todas as mulheres com quem já teve relações sexuais para informá-las e orientá-las a fazer o teste. Para tal, terá a ajuda do seu melhor amigo, Luke (Daniel Ings) e de Evie (Antonia Thomas), uma amiga que já teve uma queda enorme por ele mas manteve o segredo até superar, e hoje está noiva de outro.




Vocês sabem, hoje em dia todo mundo assiste uma série ou outra. Enquanto a maioria vaga por séries mais dramáticas, que dão um significado maior às coisas da vida, aquelas que nos fazem refletir, pensar e sofrer um pouco, eu gosto muito mais de assistir a séries que me fazem relaxar, só assistir por assistir, sem a carga dramática e pesada envolvendo os episódios. Sempre foi assim, e enquanto essas séries continuarem sendo produzidas, sempre será.

Lovesick me chamou atenção pelo nome, e depois pela trama. DST? Entrar em contato com todas as mulheres? Não foi necessariamente uma boa impressão, mas depois eu vi a nacionalidade da série: britânica. O humor britânico é muito mais ácido do que o humor americano, e há bastante diferença. Eu, particularmente, prefiro o humor britânico. Ignorei o que poderia vir na trama envolvendo estranhamente uma doença sexualmente transmissível, e assisti os seis episódios. De uma só vez. Num só dia. Sim, eu me apaixonei.


Embora a série tenha começado "só porque" o Dylan descobriu a doença e precisa entrar em contato com todas as garotas com quem já dormiu, a doença em si é pouco citada na série, e o assunto é pouco tocado durante os episódios.

Como funciona?
Os episódios começam no tempo presente, e mostra o Dylan conversando com alguma garota. Em poucos segundos somos transportados para um flashback (pode ser de seis anos atrás, dois anos e meio, seis meses...) onde descobrimos como eles se conheceram e como aconteceu o relacionamento. Tedioso, parece? Bem, se a trama não se desenvolvesse, e só ficasse nos flashbacks, sim, pode parecer um pouco tedioso. Mas, nesses flashbacks, a série explica um pouco do que está acontecendo na atualidade, como forma de nos aproximar dos personagens e entender todas as situações correntes.

Um motivo a mais para assistir:

A trilha sonora

Como no Reino Unido a cena Indie é muito presente, pode esperar uma trilha sonora repleta de boa música, talvez desconhecidas no começo, mas envolventes e bastante em sincronia com o seriado.

Mais um plus:

Todos os episódios estão disponíveis na Netflix!


Você não tem desculpa nenhuma para deixar Lovesick de lado. A série é curta, apenas 14 episódios juntando as duas temporadas, e todos contando com apenas 24 minutos. É para fazer maratona no fim de semana e pedir a Netflix por mais!

Estão esperando o quê? Adiciona na lista e vai assistir!


Oi, gente!

Tudo bem com você?
Comigo, um pouquinho melhor hoje!


Mais um livro meu está sendo lançado na amazon, e dessa vez eu trouxe em primeira mão para vocês aqui do blog. 

O livro foi escrito este ano e estava em fase de preparação para o lançamento. Trata-se de um romance/chicklit sobre escolhas, sobre altos e baixos e sobre amor e amizade, acima de tudo. 

Em "Nem Tão Simples Assim" você conhece Bárbara, uma mulher certinha que tem a vida toda sob controle. Está centrada em seu emprego, em seu relacionamento, e tudo parece estar se encaixando, finalmente. E do outro lado temos Manu, uma garota de vinte e poucos anos sem responsabilidade de manter nada por tempo duradouro, sem emprego fixo e cheia de ideias na cabeça. Manu "sofre" com um relacionamento iô-iô e tudo o que espera é ter um "fechamento" disso tudo antes que enlouqueça! 

Nem Tão Simples Assim


(Clique na imagem para ir ao link de compra, ou aqui)

O quão simples é simples demais?
Bárbara nunca teve tanta sorte assim. Seus relacionamentos nunca iam para a frente, sua carreira estava estacionada, sem nenhum avanço, e o relacionamento com sua família não é lá os melhores. 
Mas, de uns tempos pra cá... Tudo está se encaixando. Tudo está nos eixos, parece que o mundo está conspirando a seu favor. Está tudo muito bem, obrigada!
Está bem até demais!
Ela tem um emprego maravilhoso, um namorado bem sucedido, bonito e atencioso; sua melhor amiga está de volta em sua vida e há mais de seis meses ela não se sente como uma decepção para sua família. 
Só que nada é tão simples assim. Uma maré de sorte pode se transformar num tsunami de azar, só basta uma chacoalhada.

O livro ficou no wattpad por um tempinho e foi preparado para a amazon logo em seguida. 


Você pode ler o livro de graça no Kindle Unlimited, que funciona assim:



O Kindle Unlimited te dá acesso ilimitado a milhares de eBooks para ler à vontade. Por apenas R$ 19,90 ao mês (e o primeiro mês inteiramente gratuito), você pode ter acesso a um mundo de conhecimento e títulos de todos os gêneros. Aproveite! Clique aqui para assinar o Kindle Unlimited e aproveitar todos os meus e-books, além de títulos internacionais e nacionais conhecidíssimos, como os livros do Maurício Gomyde e a trilogia Não Pare! da FML Pepper. Tá esperando o quê? Vem logo pro Unlimited!

É isso, gente!

xoxo, 
até a próxima!



Hey, hoje irei publicar um book haul da bienal desse ano, antes tarde do que nunca, não é?

Nova ordem


 Alguns livros eu comprei na promoção que estava ocorrendo na época da bienal nas lojas virtuais e outros realmente lá na bienal. O primeiro livro é o "Nova ordem" que comprei pela internet.
Ele é continuação do livro "Novo mundo" do autor Chris Weitz que conta sobre um mundo que agora sofre com as consequências de um vírus que matou toda a população e só deixou os adolescentes, sem contar que nenhum deles chegavam até a vida adulta. 
Recentemente foi lançado o terceiro livro, "Nova Era", cujo estou aceitando de presente <3


De volta

Esse é o terceiro livro da série "The 100" e tem até uma resenha no blog sobre. Clique aqui para se redirecionar até outra página para saber mais sobre o livro e também sobre a série que foi lançada, eu expliquei todas as diferenças. 
Eu estou super animada com o livro (já não posso dizer o mesmo da série que abandonei, comecei achar meio forçado feat. sem aquela pegada do começo). Os livros são totalmente diferentes e eu realmente gostaria se tivesse uma adaptação aos pés deles.



Os livros da Kass Morgan se iniciam em torno de um pós-cataclismo na Terra cujos protagonistas são jovens que nem têm 18 anos ainda (meio parecido com "Novo mundo", né? NÃO). As distopias em geral são diferentes, porém igualmente boas!




Battle Royale

Oooutra distopia  que tem como foco adolescentes (pois é), porém a mais especial. Primeira vez que irei ler um livro de origem japonesa. 
Há boatos de que o livro inspirou Jogos Vorazes (muitos fãs de Jogos ficam bravos com essa afirmação, mas sejamos sinceros: todos nós temos algo a que se inspirar. Inspiração está ok para mim). Battle foi um estouro quando lançado com adaptações de todas as formas.

Simon vs. a agenda Homo Sapiens

E o último livro comprado pela internet foi esse da autora Becky Albertalli e não é uma distopia, finalmente. Conta sobre como um adolescente de 16 anos lida com sua própria sexualidade e como ele lida após receber uma chantagem que poderá mudar o rumo de sua vida.
Carry on

Dando início aos livros adquiridos na própria bienal temos aqui "Carry on" que é o mais recente livro da Rainbow Rowell lançado para todo o mundo.
O livro tem muita inspiração de Harry Potter e é o mais diferente de todos os outros livros da autora, depois de tantos Young Adults ela lança um livro fantasioso. Vale lembrar que ele não foi publicado atoa, ele aparece como a série de livro que impulsiona a protagonista Cath, de Fangirl, a achar um porto seguro na literatura. 
Os dois livros são análogos, mas um não é continuação do outro, "Carry on" é a fanfic da fanfic porque, propriamente falando, não é a história que Cath inventou e sim uma história de como seria se a Rainbow a escrevesse. Primeiro livro de fantasia que conheço em que os protagonistas são homossexuais.


Azul é a cor mais quente


Continuando nessa vibe LGBT temos aqui minha primeira HQ. Eu nem tenho palavras para descrever, tudo muito perfeito; a história perfeita, os traços, as personagens... Sem contar no final do romance que é totalmente diferente do filme, não deixa de ser triste, mas te conforta ainda mais e te mostra que o amor delas não foi em vão.

O alquimista

Agora um livro nacional que eu comprei por simplesmente todos falarem bem. Um daqueles livros que a gente compra sem ver sinopse.



Azeitona

Um livro mais recente e nacional do autor e youtuber Bruno Miranda. Não me intimidei a comprar porque o mesmo já tinha e tem uma relação forte com a literatura, além de nos apresentar uma escrita jovem, não sei ao certo a sinopse também, o que me impulsionou a comprar foi a alta avaliação e bons comentários.

Finalmente o Book Haul chegou ao fim, espero que tenham gostado e também espero receber indicações. Até!














Oi, gente!





Como estão? ♥

Hoje vim indicar um livro nacional para vocês, lançamento na última bienal do livro em Brasília, está no catálogo da editora Young e tem uma premissa interessantíssima! Quer saber mais? Então olha aqui:




Sinopse: Vanessa vive em seu mundo fechado de músicas, tecnologias e gírias, mas quando finalmente conhece o garoto dos seus sonhos, percebe que precisa abrir novos horizontes do seu conhecimento, porque Ricardinho é muito culto e obcecado por filmes e músicas dos anos oitenta. Enquanto, a contragosto, resolve conhecer mais sobre aquela época, coisas desagradáveis começam a acontecer na sua vida. Decepções, controvérsias e um acidente com o seu pai faz com que Vanessa desanime da sua vida e de uma maneira inusitada é transportada para os anos oitenta, totalmente sozinha e confusa, onde passará por momentos extraordinários.



Sobre a autora:




Denise Barbosa nasceu em 1972, na cidade de Goiânia-GO. Concluiu a faculdade de Direito em 1996 pela PUC-GO, e atualmente mora em Brasília onde é Servidora Pública Federal. É leitora voraz de todos gêneros, porém se encontrou como escritora de livros infanto-juvenis.

Categoria: Romance 
Páginas: 346
ISBN: 978-85-5695-012-3

O livro está em uma promoção imperdível nesta semana de black friday (assim como a maioria do site da editora Young): 50% de desconto! Você consegue comprar Balada 80 por 22,90 CLICANDO AQUI
Aproveitem!


Oi, gente! ♥


Como estão?

Há muito tempo venho trazendo pro blog resenhas e comentários sobre os livros da série Os Bridgertons, romances de época escritos por Julia Quinn, a Nova Iorquina que encantou o mundo dando vida a personagens amáveis, tagarelas, encantadores e inesquecíveis. 
Hoje, o livro resenhado é o sétimo da série, e o penúltimo (em romances; Felizes Para Sempre traz histórias dos personagens de todos os livros anteriores, "segundos epílogos", então não conta ((para mim)) como parte da cronologia). Embora a Julia já esteja escrevendo outra série que tem relação com Os Bridgertons, dar adeus a esses personagens, um a um, não tem sido fácil, e saber que o próximo será o último... isso tem me dado até um pouco de medo de ler. A sensação de finalizar uma série sempre nos deixa divididos, né? E com essa, que foi uma das únicas que me fez ler, devorar os livros assim que eu terminava o anterior, não vai ser fácil. 




Mas... vamos aproveitar enquanto o sétimo ainda está aqui e falar um pouco da trama de Hyacinth, a oitava filha Bridgerton.
 

Livro: Um Beijo Inesquecível 
Título Original: Its In His Kiss
Autor (a): Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 272

Sinopse: "Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga. Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele. Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo."


Hyacint Bridgerton é destemida. Fala o que lhe vem à cabeça, não parece se importar com os comentários maldosos que rondam sobre sua personalidade, e nada neste mundo a convence de que não estar casada (e não receber propostas de casamento) é um fato negativo. Ela não dá muita corda para bobagens e é conhecida por isso. Hyacinth é a mais forte das irmãs Bridgertons, mesmo sendo a mais nova, e isso é rapidamente mencionado nos livros anteriores, como uma espécie de introdução à personagem. A gente sabe que vai ler sobre alguém diferente, sobre uma pessoa que não deixa um comentário sem resposta, e isso foi maravilhoso para mim. 

Sempre comentei nas resenhas de praticamente todos os livros da série, que as personagens femininas eram muito queridas por mim, pois eu me identificava com elas em aspectos semelhantes, e com Hyacinth não foi diferente - se algo, foi até mais do que com as anteriores. Eu sei que se identificar com personagens é essencial na leitura de um livro, e várias delas tem características parecidas, isso foi bom para mim durante todas as leituras. Mas Hyacinth... há algo de diferente nela. E esse algo, tão forte em uma mulher, tem um par. Um equivalente, um espelho: Gareth St. Clair. 

Quando todos os homens da sociedade Londrina parecem querer distância de Hyacinth, Gareth a conhece e tem uma reação diferente de todos os outros. Ele quer estar perto dela, porque adora os joguinhos e sempre ri de seus comentários ora maldosos, ora inteligentes (ora um mix dos dois!). Ele é o par perfeito para a nossa heroína, o seu igual. 

Um Beijo Inesquecível talvez tenha sido o livro que mais gostei de ler, mesmo nessa série que eu adorei e devorei todos eles, sem exceção, mas o romance de Hyacinth e Gareth me veio como o mais sincero e lento de todos, com um propósito, um motivo que os uniu até o final. Achei bem construída a história envolvendo os dois, o que os fez manter uma relação além daquela romântica já esperada. Aliás, o livro trata muito mais da amizade entre os dois personagens do que no romance, com um toque suave de cenas perfeitamente conduzidas romanticamente. It's In His Kiss é o sétimo livro da série Os Bridgertons e mostra que a Julia não perdeu o fio da meada. Ela continua - e continuará - com o mesmo senso de humor na narrativa, a mesma linha de pensamento, o mesmo que fez todo o mundo se encantar com seus livros. 

Lido, favoritado e recomendado. Se você ainda não leu a série, adianta logo! Vale super a pena, e vem mais por aí. O que está esperando?