Oi, gente <3 

Como estão? 

Mais um #OrgulhoNacional! Minha vontade de vir aqui e gritar para todo mundo sobre os lançamentos nacionais só aumenta. Eu quero fazer desse "quadro" aqui no blog algo permanente, e todos os dias quando tenho mais um livro para mostrar à vocês essa vontade triplica, e o orgulho ultrapassa os limites. Hoje trago aqui um livro que começou no wattpad (e por isso tem um lugarzinho especial em mim), e está alçando voo para a amazon, para quem sabe em breve não estrear nas prateleiras por aí à fora. O #OrgulhoNacional de hoje é Em Todos os Sentidos, da Camila Antunes.


Sinopse: Com a ajuda do irmão de seu falecido noivo, Niven se muda para a região metropolitana para realizar o sonho de exercer a profissão na qual se formou. Mas tudo parece dar errado quando conhece o chef do restaurante para o qual foi contratada. Um começo desastroso faz com que ela o julgue mal e se coloque em péssimos lençóis. Nos dias que se seguem, a moça se vê dividida entre encontrar uma forma de se desculpar, comunicar-se com o chef, tentar não se apaixonar pela pessoa encantadora que ele demonstra ser e, especialmente, evitar que o cunhado ‒ cada vez mais obstinado na ideia de conquistá-la ‒ descubra os sentimentos dúbios que começa a nutrir pelo colega. Apesar dos traumas do passado e da ideia constante de que nunca os superaria, o contato com Ítalo desperta seus sentidos para um mundo novo, com dilemas e superações que jamais havia considerado, e a faz experimentar emoções de uma rica cultura que até então desconhecia. 
Editora: Independente/Amazon 
Páginas: 404

Participe do sorteio de UM EXEMPLAR de Em Todos os Sentidos, aqui:





 Sobre a autora:




Camila inventava histórias por hobby, mesmo antes de aprender a escrever (sua mãe sempre quis saber no que ela estava pensando quando a pegava refletindo, sozinha). É carioca desde 1990, mas vive na Amazônia, com o marido, desde seus vinte e poucos anos. A autora começou a publicar na internet em 2015, o romance distópico Lumen, e seu primeiro livro impresso é O Filho do Imperador.





É isso, gente! 
Apoiem a literatura nacional 💗

Xoxo, até a próxima <3


Oi, gente! Como estão?


Mais um post do #OrgulhoNacional aqui no blog ♥ dessa vez trazendo um livro de uma autora a qual eu me orgulho MUITO, por ser uma de minhas melhores amigas e também uma escritora maravilhosa: Andreia Nascimento. O livro da vez é seu mais novo lançamento: Eu Prometo Tentar, um romance/drama sobre um casal improvável, um amor forte e bonito, e amizades verdadeiras. Vamos conhecer?


Meu nome é Maxine e esta é a história da minha vida. Uma vez eu disse que tentaria viver a minha vida da melhor forma que pudesse e não seria uma possível alteração celular que não permitiria me sentir viva. Mas de tudo o que prometi tentar viver, o amor não estava nesta lista. Eu vi o que a perda de uma pessoa que você ama pode causar em uma vida e eu posso até não sobreviver ao erro da natureza, mas eu prometo viver. Meu nome é Pedro e esta é a história de como a Maxine virou a minha vida. Eu não estava procurando por nada disso, se alguém me perguntasse o que eu estava buscando isto não estaria na minha lista. É um costume de as pessoas fazerem listas, terem sonhos e, principalmente, medos. E hoje, tudo o que nunca sonhei e nem mesmo desejei, se tornou o meu maior medo. Eu só sei de uma coisa; eu não posso perdê-la.

Autora: Andreia Nascimento
Ano: 2017
Páginas: 445
Editora: independente
À venda na Amazon em formato Kindle.

Conheça a autora:


Sou Baiana, tenho 25 anos, escrevo desde sempre, não texto ou diário. Criar história mesmo. Sempre me encontrei em meus amigos imaginários. Sou viciada em séries, viciada mesmo. É de séries e filmes sai toda a minha inspiração, a principal é Friends, é a que me coloca lá em cima. Eu só preciso ver a abertura e meu dia está ganho. Adoro ler de tudo! Livros de suspense me agitam, os romances me faz acreditar no amor e os dramas me ensinam a superar, as fantasias me faz ir em lugares inimagináveis.



Redes Sociais:
Instagram: @andreianascimentowriter
Facebook: facebook.com/writerandreianascimento

Em breve sairá resenha de Eu Prometo Tentar aqui no blog, completinha pra vocês. 
Enquanto isso, que tal ir lendo na amazon, ou direto do Kindle Unlimited (primeiro mês gratuito!)? 💖

Oi, gente! Como estão?

A resenha do livro #2 da Libby Lomax finalmente chegou! Vamos lá para um encontro com Marilyn Monroe?



Título Original: A Night In With Marilyn Monroe || Ano: 2015 || Editora: HarperCollins || Autora: Lucy Holliday || Série: Libby Lomax || SinopseOs últimos meses passaram como um furacão pela vida de Libby Lomax. Depois das confusões em que a atriz não tão bem sucedida se meteu com a ajuda da diva Audrey Hepburn, agora Libby não só está namorando o cara mais gato do planeta mas também parece ter encontrado uma alternativa profissional melhor que a anterior. É incrível como a vida pode melhorar! Mas seu otimismo tem vida curta. Logo ela percebe que Dillon O’Hara não é, nem de longe, o namorado perfeito que esperava, e seu melhor amigo, Ollie, parece ter esquecido de Libby em meio a tanta confusão. Ainda bem que Libby tem outra convidada mais que especial para lhe aconselhar... Agora é torcer para que desta vez Marilyn seja a chave para finalmente colocar a vida nos eixos!

Quando seu cupido é melhor amigo do azar, é de se estranhar que você encontre alguém tão maravilhoso, sensível, dedicado, bonito e, enfim, o pacote completo né? Mas Libby parece ter encontrado esse alguém especial e está andando nas nuvens com o fofo do Adam. 

Depois de ter passado por maus bocados com seu ex-namorado, o galã complicado Dillon O'Hara - embora o final do livro #1 sugira um final feliz... - descobrimos como está a vida de Libby agora. A moça desistiu da carreira de atriz - amém - abriu um negócio próprio de confecção de joias inspiradas nas divas de Hollywood e anda com tudo nos eixos. 

Uma pena que aquele tal cupido melhor amigo do azar tenha voltado e jogado tudo pelos ares! O bondoso Adam mostra sua verdade (fazendo a gente quase chorar de rir do momento vergonha alheia que a Libby protagoniza depois disso), sua irmã, Cass, é internada numa clínica de reabilitação, o problemático Dillon O'Hara (como é bom falar esse nome!) volta dos mortos, sua mãe continua preferindo a irmã mais nova, seu pai a convida para seu próximo casamento com uma mulher mais nova e com uma filha a qual o pai adora mais do que parece adorar Libby, e o Olly, o melhor amigo da nossa heroína, a chama para ajudar com os preparativos para a inauguração do seu novíssimo restaurante. UFFA, NÉ? Quase perdi o ar aqui.

É nesse mar de desastres que Libby se encontra, e é isso que faz a mágica acontecer. Depois de um péssimo dia e de estar se sentindo como o último biscoito esfarelado e esquecido no pacotinho, Libby volta ao seu apartamento e se deparad com a sedutora Marilyn Monroe no auge dos seus vinte e poucos anos, sentada em seu Chesterfield velho, exalando o cheiro do Channel nº5. 

Marilyn tem muito o que ensinar a Libby, e muito o que conversar, também. Sobre família, amigos, pais ausentes, homens canalhas e estilo. É assim que começa a relação de Libby com Marilyn, e mais uma sessão magia Hollywoodiana para encher nossos corações e nos fazer gargalhar. 


Libby está de volta!
Mais azarada, desastrada, louca e cheia de referências do que nunca. 

Nesse segundo livro eu tive a certeza que queria ler até a lista de compras de supermercado da Lucy Holliday. Fiquei bem triste em não encontrar muito sobre ela na internet, porque queria perguntar se a autora queria se tornar minha melhor amiga. Vai que, né?! A escrita da Lucy me encantou demais em Uma Noite com Audrey Hepburn, e nesse livro se provou ser o tipo de escrita que eu amo e poderia passar a vida inteira lendo. Sério!

O clima mágico do primeiro livro também voltou aqui - e eu diria que até mais forte. Marilyn se mostra carente de amigos, e fica felicíssima por estar dividindo o apartamento com a Libby, pois agora vai poder ter uma melhor amiga só sua para poder dividir segredos, conversas pela madrugada, experiências e risadas. 

As situações envolvendo a Marilyn se tornam cada vez mais reais e, ao vermos a estrela de Hollywood insegura com seus talentos, beleza e praticamente todos os aspectos da vida, é impossível não simpatizar com a "personagem" e querer tê-la por perto - se apenas fosse possível! 

Apenas um aspecto do livro me deixou roendo as unhas e querendo chamar a Libby num cantinho e gritar com ela gentilmente: Olly! "Meu Deus, Libby, será que você poderia ir até seu amigo e ajudá-lo? Está claro que ele te ama e você não enxerga, sua tonta! Corre até ele, esquece os boy lixo que você se encanta debilmente e vai até o doce e querido Olly, de uma vez por todas!", mas todo livro tem seu casal Ross & Rachel, né? Aquele que tem toda a química para ficar junto, mas só eles não vêem assim! E eu gosto disso. Me deixa nervosa e mais ansiosa para a conclusão dessa história de anos (envolvendo queijos misteriosos), que, tenho certeza, está esperando para ser digna de Hollywood!

O final do livro deixa um gancho enorme para o terceiro, como eu esperava, e a ansiedade me comeu viva enquanto eu não pude pegar o livro final da trilogia e encarar as aventuras com a Grace Kelly até a última página! E eu quero muito saber: o que diabos tem naquele Chesterfield, gente? Porque eu quero um!

Mais uma vez a Lucy me fez rir, (gargalhar, chorar de rir), suspirar, me apaixonar, querer socar a Libby com a cabeça na parede, prender sua irmã e mãe num quartinho por duas semanas, adorar o adorável Bogdan, torcer pelo final feliz da Libby com o homem certo (que todos nós sabemos quem é!) e querer uma estrela de Hollywood na minha companhia.

Considerei a sequência à altura do anterior, e o livro é muito recomendado, sim! Se você ama Sophie Kinsella, gargalhadas altas, livro que te faz grudar as mãos na capa e não querer mais largar, Hollywood e um bom e velho clichê, pode abrir os olhos para essa série! Lucy promete muito com a história da Libby, e eu adoraria tê-la por muito mais tempo. ♡

Conheça a série:




Oi, gente! como estão?

Hoje trago pra vocês a resenha de um dos melhores livros que li este ano, com certeza, e já entrou para a minha lista de favoritos: Fique Onde Está e Então Corra, do John Boyne. 

Antecipadamente, já peço desculpas pela resenha. É mais emocional do que racional, HAHAHA. Mas espero que gostem. Ainda não conhece o livro? Olha só:


Título Original: Stay Where You Are and Then Leave
Ano: 2013
Editora: Seguinte
Autor: John Boyne
Sinopse: Alfie Summerfield nunca se esqueceu de seu aniversário de cinco anos. Quase nenhum amigo dele pôde ir à festa, e os adultos pareciam preocupados - enquanto alguns tentavam se convencer de que tudo estaria resolvido antes do Natal, sua avó não parava de repetir que eles estavam todos perdidos. Alfie ainda não entendia direito o que estava acontecendo, mas a Primeira Guerra Mundial tinha acabado de começar.
Seu pai logo se alistou para o combate, e depois de quatro longos anos Alfie já não recebia mais notícias de seu paradeiro. Até que um dia o garoto descobre uma pista indicando que talvez o pai estivesse mais perto do que ele imaginava. Determinado, Alfie mobilizará todas suas forças para trazê-lo de volta para casa.


Eu não sei como começar falando desse livro. 

222 páginas, tamanho médio de livro, pode ser considerado curtinho. Mas esse livro só prova que não são precisas centenas de páginas para que um livro nos prenda e deixe um impacto enorme, uma marca. Stay Where You Are and Then Leave é um livro infantojuvenil do mesmo autor de O Menino do Pijama Listrado (outro livro chute no estômago de tão bom e tocante), que se passa durante a primeira guerra mundial, mas, como é uma característica do John, ele nos mostra um olhar de fora. Alguém que teve a vida transformada pela guerra, mas que não participou dos combates – uma criança. 

O aniversário de cinco anos de Alfie jamais será esquecido. Foi nesse dia que tudo começou, e, a partir daí, tudo é Antes e Depois da guerra. Antes, seu pai, Georgie, saía todos os dias para entregar leite; Depois, seu pai, Georgie, está lá, no meio da guerra, longe de Alfie e de sua mãe, enfrentando inimigos e mandando cartas sobre os horrores dos combates. Mas já fazem anos que Georgie não manda uma carta, e Alfie está convencido que o pai está morto, mas ninguém quer lhe contar.

Eles estão perdidos, estão todos perdidos.

Fique Onde Está e Então Corra traz um olhar inocente sobre a guerra, uma ingenuidade que nos faz querer chorar ao ler os pensamentos do pequeno Alfie sobre tudo o que está acontecendo ao seu redor. E também aborda um assunto interessantíssimo e um pouco esquecido quando se é retratado uma história sobre a guerra: o trauma. O psicológico de soldados afetados pela guerra, às vezes não feridos fisicamente, mas psicologicamente abalados

A história de Alfie em busca de respostas sobre o paradeiro do seu pai, ao mesmo tempo que, aos nove anos sai para trabalhar como engraxate na estação King's Cross, vai à escola nas segundas e quintas-feiras para aula de história e leitura, e também tenta entender o porquê de as coisas serem como são, o porquê de as pessoas odiarem Joe Patience, o objetor do 16, é, além de tudo, uma história sobre esperança. Sobre ir em busca do que você acredita, sobre fazer seus próprios planos, mesmo em meio ao caos. É uma história sobre a força do amor.

— Se Praga é tão maravilhosa — ele perguntou —, então por que o senhor se mudou para Londres?
O Sr. Janácek abriu um imenso sorriso e ele pareceu mais feliz do que todas as outras vezes que Alfie o tinha visto.
— Pela melhor razão do mundo — ele explicou. — Por amor.


Como eu disse no Skoob: terminei de ler a última página, enfiei a cara no livro e chorei feito um bebê. Leitura mais que recomendada! 


Oi, gente! Como estão? ♡

Há muito tempo não posto aqui no Blog, mas... bem, eu pretendo voltar e não tenho desculpa para o sumiço! Agora, vamos ao post #OrgulhoNacional de hoje. O Número 1 de todos os tempos HAHAHA Mas, como sempre tô querendo prestigiar os livros maravilhosos da nossa literatura, os contemporâneos cada vez mais comuns nas estantes brasileirinhas, decidi criar esse espaço aqui no blog SÓ PRA ELES! 

E o primeiro post já é especial demais: o lançamento de um livro escrito por autoras que saíram do wattpad (meu queridinho), que se juntaram para uma Antologia sobre a força feminina. 

Quer melhor? <3

Conheça o livro:



Título: Forte Como Uma Garota || Autoras: Marina Guimarães, Camila Antunes, Débora S. Silva, Tânia Picon & Katherine Salles || Ano: 2017 || Editora: Multifoco | Selo: Anthology || Sinopse: O que cinco garotas que nunca se viram poderiam ter em comum? Mabel, Pilar, Bianca, Alicia e Manoela são jovens mulheres e verdadeiros exemplos de lições de vida. Suas histórias nos ensinam sobre o quanto a intolerância e todos os tipos de preconceito, sejam pelo ódio ou pela ignorância, estão
totalmente fora de moda.
COMPRE AQUI 


Perfil das autoras no Wattpad: 


O livro está sendo lançado na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, e estará disponível a partir desta Quarta-Feira, 06/setembro, no estande da Editora Multifoco  
Corre lá! Quem sabe você não encontra uma das autoras e descola um autógrafo?!

É isso, gente!
Espero que tenham gostado, e aguardem mais #OrgulhoNacional por aqui!



Oi, gente!

Finalmente está aqui: a pré-venda de Não Era Eu, Era Você, meu segundo livro a se tornar físico ♥

Apresentação:

Sinopse: Francine se orgulha de várias coisas. Ela sabe que é uma ótima corretora de imóveis e se orgulha de ser valorizada em sua profissão. Francine também sabe que o amor de sua família é grande e se orgulha da relação que mantém sempre balanceada com as irmãs, Franciele e Fernanda. Ela também se orgulha de ter o coração "de pedra", como costumam descrever, e não ter se apaixonado de verdade desde os quinze anos. 

Agora, Francine acaba de completar vinte e cinco verões. Está no começo da vida, na flor da idade, e esse ano tem tudo para ser o melhor de sua vida. Ela está no topo de tudo, mas, se há um problema de estar no topo, é que o vento lá por cima é sempre muito forte; pode fazê-la despencar em um piscar de olhos.







A PRÉ-VENDA VAI ATÉ O DIA 15/07 OU ATÉ O ESTOQUE ACABAR. 


Para compra no PagSeguro, basta apenas clicar no botão abaixo:



Para compra via Depósito, enviar e-mail para renatavarela.contato@outlook.com

Oi, gente <3

          Hoje vim falar de um livro que me deixou frustrada nesses últimos dias. Tanto por ter lido algo totalmente diferente do que eu estava esperando (o que nem sempre é ruim, mas neste caso...), e também por não saber exatamente o que achei, no geral. 
          O livro é o primeiro da série "To all the boys I've loved before", da Jenny Han.


Sinopse: Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos. Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar. || Jovem adulto || 320 Páginas || Editora: Intrínseca || Skoob || Ano: 2015 ||


 Lara Jean é uma adolescente de dezesseis anos, irmã do meio, orfã de mãe e protegida pela sombra da irmã mais velha, Margot. Quando Margot se muda para muito longe — a Escócia — para a faculdade, Lara Jean sente a insegurança tomando conta, agora sendo a irmã mais velha na casa, precisando assumir responsabilidades e tendo que enfrentar essas novas situações praticamente sozinha. Lara Jean é uma garota doce, tímida, que não se destaca muito no colégio, não faz o tipo popular e, embora uma de suas melhores amigas seja totalmente solta e desinibida, Lara é o total oposto e não se vê entrando nesse clube dos populares nem tão cedo.  
          Tendo sempre sido um pouco insegura, Lara Jean já se apaixonou, mas sempre manteve em segredo seus amores, escrevendo apenas cartas para os garotos, mas nunca enviando. As cartas "de amor" na verdade são escritas ao final de cada uma dessas paixões, e Lara Jean as guarda como lembrança de todos os garotos que fizeram seu coração bater mais forte. 
        Quando essas cartas secretas são misteriosamente entregues a cada um dos garotos, logo no primeiro dia de aula, Lara Jean fica perdida, e, tomada pela impulsividade, bola um plano maluco e acaba beijando um dos garotos populares do colégio, no meio do corredor, na frente de todo mundo. 
          O garoto — Peter K. — é um dos que recebeu a carta, mas acaba levando o plano de Lara Jean para frente quando aceita ser o namorado de mentira da garota, só para causar ciúmes na ex-namorada, Genevieve.
          Está formado o enredo do livro. 
Em "Para Todos os Garotos que Já Amei" vamos ver como Lara Jean faz para se desprender da figura "perfeita" da irmã, como encarará o namoro de mentira com Peter K., e o que fará para esquecer sua paixãozinha pelo vizinho, Josh. As cartas ficam um pouco em segundo plano depois que já são entregues aos garotos, e não vemos muito a repercussão disso. 

••••••

          Infelizmente, Jenny Han não conseguiu me ganhar mais uma vez. Eu já tinha lido um livro da autora, mas em parceria com a Siobhan (Olho Por Olho), e não me agradou nem um pouco. Foi um dos livros que entraram para minha pilha de "nunca mais", e eu abandonei a trilogia ali mesmo. Com essa nova história, achei que poderia me identificar mais, mas... bem, ledo engano. 

          Para Todos os Garotos que Já Amei tem uma ótima premissa. Cartas secretas que são misteriosamente entregues aos destinatários e, BUM!, porém, não. O livro me cansou um pouco ao narrar uma personagem sem graça, vivendo muito na sombra da irmã mais velha que agora está longe, sempre tratando a Margot como a perfeita, a boa, a melhor em tudo. Me deixa exausta ler sobre personagens que estão sempre se colocando para baixo, idolatrando outra pessoa, se achando pouco. E a personagem não tinha nenhum porquê de se sentir assim. As inseguranças de Lara Jean cresceram por conta da proteção exagerada e pela própria personalidade da garota, que gosta de ficar ali, escondida. Quando ela resmungava sobre como Margot era muito melhor, eu quase trincava os dentes com impaciência. 

          Os personagens do livro são pouco explorados. A visão da Lara Jean parece distante de todos, sem abordar mais a fundo características de personagens importantes. O livro gira em torno do namoro de mentira entre Lara e Peter (o único personagem que gostei), e também na amizade de Lara e Josh, o vizinho por quem Lara Jean é apaixonada, que, ah, também é ex-namorado da sua irmã, Margot, a perfeita. O raio de personagens do livro é muito pequeno. Parece que estamos lendo algo que se limita só àquilo, e eu posso entender isso em livros que são feitos exatamente para serem assim, mas aqui, não me agradou muito. 

          Talvez por eu estar esperando um livro um pouco mais maduro, com uma personagem menos infantil e mais segura de si, e um enredo que realmente nos deixasse curiosos para saber o fim das cartas e o que aconteceu com os garotos que as receberam, eu tenha levado um tombo tão grande. Culpo as expectativas, em parte, claro, mas mesmo sem elas, o livro não funcionaria para mim. Uma pena, pois eu estava esperando essa leitura há tempos. 

          Embora eu tenha falado de todas as coisas que não gostei em Para Todos os Garotos que Já Amei, preciso falar dos pontos bons: a escrita da Jenny Han. Nem nesse livro, nem no outro em que li da autora, a escrita foi o que me afastou da leitura. Ao contrário. A escrita leve e despretensiosa da autora foi o que me fez levar o livro até o fim, porque, sinceramente, pelo enredo eu teria largado nas primeiras 150 páginas. 
         Outra coisa que reconheço: o livro pode ser agradável para adolescentes — até porque esse é o público-alvo dele. Só que livro para adolescentes nem sempre precisam ser limitados a esse público — e eu acho que isso acontece com o livro da Jenny Han, o que é um problema. Porém... acredito que garotas na faixa etária 12—16 vão curtir a leitura; é um livro legal para quem está começando a ler agora, quem está passando por essa fase de novas descobertas, primeiros namorados, inseguranças, e todo esse mundo que se abre na adolescência. Um exemplo de livro que conta a história de uma personagem passando pela mesma fase é Tudo e Todas as Coisas |clique aqui para ler a resenha| mas a maestria com que Nicola nos apresenta a história é incomparável. Everything, Everything é um livro Jovem Adulto que não se limita apenas a adolescentes. E eu queria ter visto isso em To All The Boys I've Loved Before. 💔
        Bem, gente, é isso! Eu adoraria ter curtido, mas não rolou. Se você já leu e tem uma opinião diferente, ou quem sabe concorda com a  minha, comenta aqui! 


Oi, gente <3



Como estão?
Faz tempo que não falo de cinema aqui no blog, com as resenhas de livro saindo a todo vapor, mas estou de volta! E, como já fiz com a Zooey Deschanel e com a Emma Stone, duas de minhas atrizes favoritas, resolvi trazer o Ryan Gosling para o "Filmes para conhecer". O ator também está na lista dos meus favoritos e nem sei porquê ainda não apareceu aqui no blog. 

Ryan Gosling

Os fãs de livros e adaptações cinematográficas com certeza já o viram no filme "Diário de Uma Paixão", a adaptação da história escrita por Nicholas Sparks e que foi ao cinema no ano de 2004. Lá, em 2004, Ryan ainda não era um ator super conhecido, embora tivesse feito parte do elenco da Disney nos anos '90. O sucesso do ator começou a subir depois de Diário de Uma Paixão e alcançou o auge com a indicação ao Oscar, em 2006, com Half Nelson, onde interpreta um professor de história com métodos diferenciados dentro da sala de aula. Hoje em dia, a filmografia do ator é bastante diversificada, com papéis cômicos, dramáticos, românticos, etc. Ryan conquistou sua segunda indicação ao Oscar com La La Land, o musical do diretor Damien Chazelle (Whiplash).


Ryan Thomas Gosling é um ator, cineasta e músico canadense. Ele começou sua carreira como um ator mirim no programa da Disney Channel, Clube do Mickey (1993-1995), e passou a aparecer em outros programas de entretenimento familiar, incluindo as séries de terror infantil Você Tem Medo do Escuro? (1995) e Goosebumps (1996). Gosling recebeu aclamação do publico por seu desempenho Diário de Uma Paixão (2004), pelo qual ele recebeu quatro Teen Choice Award e um MTV Movie Award. Ele também se tornou um dos atores mais elogiados criticamente, depois de seu desempenho como um professor viciado em drogas em Half Nelson (2006), pelo qual venceu o Independent Spirit Award e o National Board of Review Award e recebeu sua primeira indicação ao Óscar. Gosling é também conhecido por sua facilidade em interpretar personagens dramáticos, pelo qual foi indicado duas vezes ao Globo de Ouro de Melhor Ator (Drama) por seu desempenho em Namorados Para Sempre (2011) e The Ides of March (2012), além de elogios da crítica especializada por seu desempenho em Drive (2012).
Quatro Filmes:

Blue Valentine (2010)



Casados há vários anos e com uma filha, Cindy (Michelle Williams) e Dean (Ryan Gosling) são jovens da classe trabalhadora que passam por um momento de crise, vendo o relacionamento ser contaminado por uma série de incertezas. Ele trabalha como pintor, enquanto que ela é enfermeira de uma clínica médica. Seguem em frente e tentam superar os problemas, se baseando no passado que fez com que se apaixonassem um pelo outro.

Esse é um dos meus favoritos do Ryan, pela atuação e pela história. O filme nos dá "dicas" do que aconteceu com o casal principal, nos mostrando cenas do passado, ao se conhecerem, e do presente, carregado de drama, brigas e choro. É um filme de romance sobre o fim de um relacionamento, e os estágios do casamento, do início ao fim. É bonito, tem uma fotografia linda, e é dolorosamente real. Vale a pena conferir. 

Dois Caras Legais (2016)


Na Los Angeles dos anos 1970, a filha de uma funcionária do Departamento de Justiça dos Estados Unidos é sequestrada e ela decide contratar Jackson Healy (Russell Crowe), brutamontes violento e ex-alcoólatra, para investigar o caso. O trabalho revela-se mais complicado do que o esperado e ele decide contar com a ajuda a um medroso e atrapalhado detetive particular (Ryan Gosling).

Dois Caras Legais é uma comédia ambientada nos anos '70, e a atuação de Ryan não deixa a desejar hora alguma, mesmo sendo um filme diferente dos que ele é reconhecido por fazer. The Nice Guys prova que Ryan vai de um extremo ao outro - comédia de alta qualidade e drama de cortar o coração. 

Drive (2011)


Durante o dia um motorista (Ryan Gosling) trabalha como mecânico e dublê em filmes de Hollywood, enquanto que à noite ele presta serviços para a máfia. Ele é vizinho de Irene (Carey Mulligan), que é casada e tem um filho com Standard (Oscar Isaac). Percebendo a situação difícil de Standard, que saiu há pouco tempo da prisão, o motorista o convida para realizar um assalto. Só que o golpe dá errado, o que coloca em risco as vidas do motorista, Irene e seu filho. 

Drive é um dos melhores filmes que vi, e daqueles que eu gostaria de rever, e com certeza vou, várias vezes. O filme não é o típico filme de ação/crime, carregado de cenas cheias de adrenalina, etc. O filme não nos prepara para os acontecimentos, dando aquela surpresa quando algo acontece. É do tipo que, se se afastar da tv por dois minutos, quando voltar terá uma reviravolta acontecendo. Ryan entrega um personagem misterioso, desenvolvendo o papel com maestria. Mais uma vez surpreendendo com um filme diferente, desafiador. 

La La Land (2016)


Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

Você provavelmente já ouviu falar de La La Land - Cantando Estações. No filme recordista de indicações ao Oscar, Ryan Gosling mostra seu lado musical - cantando, tocando piano, dançando e sapateando. É um filme 8 ou 80. Por ser musical, ou você ama ou você odeia. Eu, pessoalmente, não sou a maior fã de musicais, mas os números de La La Land me conquistaram. 
Falei do filme no "Filmes para conhecer Emma Stone", quando ele ainda iria estrear nos cinemas. É muito bom confirmar que o filme vale mesmo a pena, e merece ser conferido.


Menções honrosas

Assista aos Trailers:

E aí, curtiram as indicações?
Se já viram um desses filmes, não esquece de comentar. ♥