Oi, gente!


Eu tô adorando trazer entrevistas aqui pro blog... espero que vocês, também!

A de hoje é bem especial. Uma autora que conheço "de longe" e acompanho o trabalho pelo Facebook e Wattpad, que faz muito sucesso com seus livros de romance na plataforma gratuita, já conquistando mais de dois milhões de fãs. A simpatia de Paula me deu coragem para chegar e entrevistá-la, então aqui vamos para o - maravilhoso - resultado!



Primeiro, nos conte um pouco sobre você. Quem é Paula Oliveira?

Bom, sou uma paulista de vinte e três anos que sonha em um dia ser uma escritora reconhecida por seus romances. Tenho meus medos, minhas alegrias e minhas coragens. Sou mais nervosa do que calma, e mais chorona do que durona. Sou escritora há três anos, e sei que é o que quero ser para sempre.

1. Como descobriu a paixão pela escrita?

Na verdade, gosto de dizer que a escrita quem me descobriu. Eu sempre gostei de me expressar pelas palavras. Quando ainda estava no ensino fundamental, eu vivia escrevendo cartas para os meus pais, me desculpando de alguma travessura. E não eram cartas pequenas, eram sempre detalhadas e com um drama no final. Quando dei um tempo em um relacionamento, escrevi cartas e mais cartas, desabafando. Ainda bem que ele nunca as leu, pois estamos juntos até hoje rsrs. Mas, foi no dia dezenove de maio de 2013 que eu escrevi o rascunho do meu primeiro livro, Essencial. Depois que minha tia finalizou o primeiro livro dela, uma vontade incontrolável despertou dentro de mim, e resolvi tentar. Até hoje sei que foi uma das melhores decisões que já tomei.

2. O que sente quando uma nova história chega até você? Quando esse momento acontece, o que você faz? Espera ou escreve imediatamente?

Sinto como se eu estivesse sendo renovada. Geralmente, eu não me aguento e começo a escrever. Com meu segundo livro, o 101 dias com ele, eu lutei um pouco, pois estava sem meu computador. Mas não teve jeito, porque eu não parava mais de pensar na história. Até que me rendi e comecei a escrevê-la pelo celular mesmo, e 90% do livro eu escrevi pelo celular rsrs. Com o meu terceiro livro, Jogo Proibido, a história entrou na minha cabeça em uma tarde de sábado, quando eu estava dentro do ônibus voltando para casa. E não deu outra; assim que cheguei corri para o computador e comecei a escrever.

3. Seus livros fazem muito sucesso no wattpad. Imaginava que fosse ser assim?

Com toda a certeza, não. Nem em meus sonhos mais audaciosos eu imaginava que meus livros pudessem alcançar esses números de leituras. Porque quando coloquei o Essencial lá, as leituras e os comentários aconteciam devagar e para mim já estava ótimo daquele jeito. Mas, quando coloquei o 101, foi como se as leituras já estivessem vindo junto. Foi muito rápido, e isso ainda me assusta. Mas o carinho direto dos leitores é a melhor recompensa, em minha opinião. Não largo mais esse site por nada rsrs.

4. Você tem noção de quantas pessoas já se apaixonaram por seus livros?

A noção que tenho é pelas leituras e comentários, que no 101, por exemplo, apenas no epílogo, já somam mais de quarenta mil leituras e quase mil comentários. Sei que isso é ainda maior, pois existem os leitores fantasmas rsrs, mas noção, noção das pessoas que são apaixonadas por meus livros, eu não tenho. É um amor e uma gratidão muito grande que tenho por tudo isso.

5. Pretende seguir carreira de escritora, ou é mais como hobby?

Olha, sinceramente, eu considero que já ingressei nessa carreira. Claro que estou no começo e tenho muito que aprender e caminhar ainda, mas eu amo escrever, e é isso que quero fazer sempre e profissionalmente.

6. Comente sobre o mercado editorial no Brasil atualmente.

Eu me lancei como autora publicando de forma independente, só depois que assinei contrato com uma editora. Mas pelo que vejo de colegas que estão atualmente no mercado, é que se você não tem um público fiel para oferecer a determinada editora, essa mesma editora provavelmente não irá por muita “fé” em você. E isso é muito triste. Não estou generalizando, mas muitas editoras cobram preços muito altos também. Então, ou você tem as vendas do seu livro garantidas mesmo, ou você tem dinheiro para pagar a eles; essa é a verdade. Porque se você não tem isso, será muito mais difícil, porém, não impossível. O jeito é pesquisar bastante, pois também existem algumas editoras pequenas que publicam sem nenhum custo da parte do autor. Mas, tomem muito, muito cuidado com os contratos. Leiam atentamente e deixem alguém que entenda ler também. Eu sou a prova viva de que palavras bonitas o vento leva... Então, pesquisem e trabalhem bastante por seus livros, porque um dia você será reconhecido.

7. Quando o temido bloqueio criativo chega, o que faz?

Eu costumo ler ou assistir algo que seja do mesmo gênero. Isso costuma me dar novas idéias e me inspirar. Mas caso não funcione, eu dou um descanso para a minha mente e retorno a escrita quando sinto vontade.

8. Vários de seus leitores também são escritores, que conselho você dá a eles?

Muitos! Acho que depois de escrever, o que mais faço é dar conselhos. Sei lá, eu acho que devo repassar tudo que aprendo. Talvez, posso evitar de a pessoa cometer o mesmo erro que eu. Geralmente meus conselhos são para que eles não desistam só porque está difícil. É um árduo caminho, mas garanto que vale a pena.

9. Tem algum projeto futuro ou em andamento? Se puder, nos conte um pouco sobre.

Tenho um projeto em andamento que é o Jogo Proibido, e três projetos futuros rsrs. Depois de JP, irei começar a escrever o spin off de 101 dias com ele, que contará a história da Monique. Depois, já dei início a um suspense, com romance e muito drama. Será minha primeira ficção e estou bem ansiosa. O nome por enquanto é Feridas de Um Passado Sombrio. Gostou? Rsrs. E, mais para frente ainda, também tenho no início outra ficção e será minha primeira trilogia: A Destinada. Terá muito romance, muito drama e muito suspense. Por enquanto é isso rsrs.

10. Você é muito humilde, dá muita atenção aos fãs. Deixe uma mensagem para os leitores aqui do blog

Eu apenas retribuo o que recebo. Sou loucamente apaixonada por todos os meus leitores, e é tanto carinho que sei que nunca nada do que eu falar será o suficiente. Todo esse contato que temos, através das redes sociais, é um pagamento por todo o trabalho que faço e por todas as dificuldades que enfrento. Sou eternamente grata por todo apoio e incentivo que recebo diariamente, em forma de leituras, curtidas, comentários e mensagens. Não sei se sou merecedora de tanto, mas prometo sempre dar o meu melhor a quem está sempre comigo, mesmo que seja um leitor fantasma rsrs. Porque aparecendo ou não, sei que estão ali, e isso é tudo o que me importa; ter meus leitores sempre por perto. Amo vocês!


Foi isso, gente! Espero que vocês tenham gostado. 
A Paula é uma fofa e uma ótima autora. Aqui você conhece seus livros:


Todos podem ser lidos no wattpad, plataforma independente de publicação. Clique aqui para seguir a autora e conhecer um a um.

É isso, gente! Espero que tenham gostado da entrevista. Mais uma vez, obrigada Paula! Foi um prazer. 
xoxo, 

até a próxima!


Oi, gente!

Tudo bem com vocês?
Hoje venho com uma resenha de um dos últimos livros que finalizei: Temporada de Segredos, de Sally Nicholls, mesma autora de Como Viver Eternamente, que tem resenha aqui no blog já, e pra ler é só clicar aqui. 

Vamos lá?

Título original: Season of Secrets || Autora: Sally Nicholls || Categoria: Romance Estrangeiro || Editora: Geração || Páginas: 244 ||
Sinopse: Perdida de sua irmã, Molly vê um rapaz sendo caçado numa floresta. Aterrorizada, ela tenta ajudá-lo e sente compaixão. Voltando para a casa de seus avós, conta a todos o que ocorreu, mas quando procuram o homem ferido, não o encontram e atribuem a imagem à fértil imaginação da menina. No dia seguinte, numa velha igreja, Molly percebe, surpresa, que o rosto daquele misterioso rapaz está esculpido em uma coluna. Quem seria ele? No desenvolver da história, nos envolvemos com o misto entre mistério e magia que envolve aquela noite de perseguição, ao mesmo tempo em que nos sentimos comovidos pela triste histórias das irmãs, órfãs de mãe e levadas pelo pai para serem criadas pelos avós. Vemos o texto se desenvolver pela ótica de Molly, o que nos leva a imaginar o mundo dela, como uma criança. Ao mesmo tempo, o livro nos faz lembrar das fábulas de infância que tanto admirávamos e nos causa grande impacto, pelo fato de alguém tão jovem ter que lidar com algo tão complexo como a doença e a morte da mãe.


Molly é uma menina meiga, que as vezes inventa histórias, e sente muito a falta da mãe. Vivendo agora com sua irmã na casa dos avôs, Molly se sente sozinha e anseia por um mundo diferente, onde seja possível que as pessoas mortas voltem ao nosso mundo.

Depois de uma noite chuvosa, onde Molly foge da casa dos avós, ela acaba se deparando com um homem em perigo, na floresta. Com seu espírito caridoso, Molly sente pena do rapaz e tenta ajudá-lo, mas não há muito o que se fazer. 

Depois de contar tudo a seus avós, ela acaba sendo ignorada por acharem que está inventando mais esse ocorrido. A menina, que narra o livro, nos dá detalhes do que vê e fala, de uma forma sonhadora, de como desejaria que a vida fosse mais como nos livros de fantasia, que tivesse mais magia e mais bondade. 

A relação das irmãs com o pai também é bastante conturbada. Ele não as vê com frequência e, quando tenta, não é bem sucedido. 

O livro é curto, com a diagramação bem espaçada e uma linguagem infanto-juvenil que nos faz ler rapidamente, como em "Como Viver Eternamente", podendo ter a possibilidade de finaliza-lo em algumas horas. Não é a melhor história do mundo. O primeiro nome do livro "A menina que conversa com o verão" dá uma sugestão melhor do que podemos ler nessas páginas, mas mesmo assim, engana um pouco nossa mente sobre as expectativas. Não é um livro de fantasia como estamos acostumados. É mais um livro sobre uma criança com imaginação fértil e um fenômeno incomum. 

Nota: ★ 


É isso, gente! 

Espero que vocês tenham gostado da resenha. Demorei muito para trazê-la aqui pro blog, não sabia como conduzir um comentário sobre o livro, que me dividiu muito. Espero que, se vocês lerem, gostem.
Beijos!
e até a próxima.


Olá todo mundo! Não, eu ainda não morri, mas essa coisa de último ano da escola e TCC no curso técnico está me matando e levando junto o meu pouco tempo que me restava.
Então para recompensar o tempo perdido, hoje que consegui ter um tempinho eu vim correndo fazer uma tag!

TAG MATÉRIAS LITERÁRIAS 


1 - Matemática - Um livro que a maioria critica

Simplesmente por ser um clássico não é um livro bem visto aos olhos das demais pessoas (chato, maçante, irritante...).
Porém eu realmente gosto dessa leitura.







2 - Português - Um livro com uma escrita difícil de ser lida

Livro com a linguagem tão simples que chega a ser "bobinho".












3- História - Um livro que conta uma história real de alguém ou lugar

Livro que te leva ao outro lado do continente, literalmente.
Ele conta a história de Marjane que viveu a vida inteira sendo limitada pelo governo ditador.








4 - Biologia - Um livro que tenha animais

Título auto-explicativo  (hahaha)














5 - Física / Química - Um livro que você leu e não lembra quase nada
Desculpa, mas eu realmente não lembro de nada mesmo, apenas do filme que assisti inúmeras vezes.











6 - Geografia - Um livro em que a história se passe em um país/cidade pouco conhecido

Eu sou muito ligada em geografia, história, sociologia, letras e tudo que envolva a área de humanas, então é muito "raro" eu não me associar, por exemplo, a um país diferente do nosso e achar super estranho. Por essas razões escolhi (mesmo fictício) esse livro porque essa biblioteca do Mr. Penumbra durante o livro todo continuou sua vibe como um lugar estranho, curioso e misterioso.

E é isso, pessoal, desculpem-me por o sumiço (que infelizmente vai continuar acontecendo) e sentem-se livres para fazerem a tag se gostarem. Beijos! :)



Oi, gente!


Não sei aí onde vocês moram (aliás, de onde vocês são? deixem nos comentários!), mas aqui em Recife chove desde a madrugada! Alerta de 24h de chuva, é muita água! O friozinha pega de jeito e tudo o que a gente quer é ficar quentinho, num moletom, meias divertidas e um edredom fofinho, né? Além, é claro, de um livro que combine com todo esse clima e ajude a melhorar. Porque ô, coisa boa!

Então, aqui minha missão é indicar esses livros pra vocês. ♥ Livros adoráveis que fazem meus dias de chuva muito melhores!

1. À Procura de Audrey - Sophie Kinsella

Eu ia indicar Sophie Kinsella de qualquer jeito! É fato, a autora sabe nos pegar com personagens divertidos e que fazem o tempo passar voando, mas... os chick-lits já estão "passados" em listas de recomendações, então lembrei de um que li nesse tempinho mesmo, ao lado da janela com um copo de café quentinho: À Procura de Audrey



2. Los Angeles - Marian Keyes


Um de meus livros favoritos da minha autora favorita, Los Angeles nos conta, de forma rápida e corrida, a vida de Maggie em Hollywood, depois de uma separação conturbada e uma crise de meia idade! O livro é bem mais do que um simples chick-lit, e até a parte em que tudo dá - mais - errado, vale a pena. Super recomendo!

3. Mosquitolândia 


Fugindo um pouquinho do Chick-lit, agora um YA que me pegou de jeito o último mês. Narra a história de Mim Malone, uma adolescente em fuga, saindo numa road trip pelos EUA em busca de uma salvação - tanto para ela quanto para a mãe. Mim encontra figuras memoráveis em seu caminho e tudo indica que a viagem dará muito errado, mas será que vai ser assim mesmo? Num clima corrido, uma personagem carismática e algumas cartas pelo meio, Mosquitolândia é o cenário perfeito para se imaginar quando o vento frio bate na rua e tudo o que temos que fazer é viajar na imaginação mesmo. São vários cenários diferentes, várias aventuras e uma boa dose de sarcasmo para aquecer nossa leitura. Vale super a pena!

4. Anexos - Rainbow Rowell


Ah, como não amar RR em dias de sol, de outono, mas principalmente, como não amar Rainbow Rowell em dias chuvosos, com seus personagens tão iguais a nós e as tramas tão descomplicadamente complicadas? Fica impossível escolher um de seus livros, mas Anexos traz um pouco de risada - ok, bastante risada - a uma leitura super leve, com e-mails engraçadíssimos e narrativa clara e emotiva - em certos pontos. É o combo, gente. Emoção, risadas e amor.



Bem, gente! O post me deixou com muita vontade de voltar para as cobertas. Então eu vou encerrar a listinha por aqui e ler algo gostoso, acompanhada de gatinhos, chuva e café. ♥ 

E vocês? O que gostam de ler nesse clima gelado? Deixa aqui nos comentários como sugestão porque tenho vários dias de frio pela frente e tenho que aproveitar. 

Xoxo, 
até a próxima! 


Oi, gente!


Alguém me socorre, por favor, que eu tô passando mal desde que comecei a ver essas notícias. HAHAHA

Hoje cedo, assim que entrei nas redes sociais, estava lá: Jacob Tremblay COMFIRMADO como Auggie na adaptação de Extraordinário, livro de P.J. Palacio. Como assim, produção?

Esse garotinho é, nada mais nada menos que o Jack de "O Quarto de Jack", filme de grande sucesso lançado no ano de 2015. Quem já viu a também adaptação do livro Quarto sabe do que eu tô falando. O menino dá um show de atuação e é, com certeza, uma aposta para vários papéis principais nos próximos anos (eu espero que ele não suma). 

Depois disso, eu já desestruturada, sou bombardeada com a seguinte notícia:

JULIA ROBERTS É CONFIRMADA NA ADAPTAÇÃO DE "EXTRAORDINÁRIO"



Julia Roberts foi confirmada para viver a mãe de Auggie Pullman! A atriz é famosa por papéis em filmes como "Uma Linda Mulher" e "Comer, Rezar e Amar."

O filme será produzido pela Lionsgate, o mesmo estúdio de Jogos Vorazes. O roteiro é assinado por Jack Thorne (Uma Longa Queda).

Com tanta notícia boa, o que esperar, né? Um filme maravilhoso (se for fiel ao livro, que é lindo, e se as notícias forem realmente verdade! espero que sim). ♥

Bem, para quem não conhece, aqui vai a sinopse do LIVRO:

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência um, ele é um menino igual a todos os outros.
É isso, gente! Espero que esse filme saia mesmo, porque tô super animada.

Beijos, e até a próxima!